Novembro Azul
Notícias
25/10/2012 13h13 - Atualizado em 25/10/2012 13h13
Rede Abraça-me define protocolo de atendimento às vítimas de violências sexuais
Da Redação - Agência Amapá
A-A+ Tamanho da Letra

Integrantes da Rede Abraça-me estiveram reunidos nesta quinta-feira, 25, no auditório do Centro de Referência de Doenças Tropicais (CRDT), com a finalidade de repassar todas as informações a respeito da articulação, fluxograma da Rede e protocolo de atendimento às vitimas de violências sexuais.

De acordo com Iranir Andrade, diretora do CRDT, a Rede Abraça-me é composta por 56 instituições unidas em prol da defesa e atendimento a crianças e mulheres vítimas de violências em todo o Estado. "Queremos abraçar a causa, orientar e ainda acompanhar esses casos, para prestarmos um atendimento humanizado e de qualidade a população", explicou Iranir.

O Governo do Amapá está envolvido e comprometido com a organização, por meio de instituições estaduais que prestam o atendimento e o encaminhamento dos casos registrados no Amapá.

Sandra Cardoso, coordenadora do Centro de Referência e Atendimento à Mulher (Cram), que também faz parte da rede, disse que, com a identificação das responsabilidades e o direcionamento de cada instituição, fica mais fácil de prestar o devido atendimento.

"Fazemos esse tipo de atendimento como, por exemplo, crianças que são violentadas, encaminhamos esses casos para o acompanhamento psicológico. Vamos firmar esse protocolo para nos comprometermos ainda mais nesse importante compromisso", pontuou a coordenadora.

Rede Abraça-me

Uma das principais ações do programa é a mobilização de redes para integrar um conjunto de programas e ações dos governos, organimos e agências internacionais, universidades e sociedade civil para que sejam desenvolvidas e aplicadas metodologias de intervenção local, capazes de desencadear respostas efetivas para superação da violação dos direitos de crianças e adolescentes.

A coordenação do programa também é responsável pela disseminação de boas práticas; pela sistematização de dados e informações; pelo apoio às redes e comitês de enfrentamento da violência sexual e pela promoção de campanhas de sensibilização e mobilização.

Fabíola Gomes/Secom

Cadastre-se para receber o Boletim Eletrônico
Nome
E-mail
Assessorias
Secretaria de Estado da Comunicação