Novembro Azul
Notícias
03/08/2012 12h06 - Atualizado em 03/08/2012 12h06
Mulheres se emocionam durante o 4º aniversário do Cram e os 6 anos da Lei Maria da Penha
Da Redação - Agência Amapá
A-A+ Tamanho da Letra

Uma vasta programação marcou os festejos alusivos ao 4º ano de criação do Centro de Referência e Atendimento à Mulher (Cram) e os 6 anos da Lei Maria da Penha, nesta sexta-feira, 3, no prédio da instituição.

O evento iniciou com um ato ecumênico ministrado pelo pastor Diego Senado, da Igreja Assembleia de Deus A Pioneira. Logo após, foi feita a apresentação da equipe do instituto composta por 25 mulheres, entre psicólogas, pedagogas, técnicas em enfermagem, assistentes administrativas, assessoras jurídicas e massoterapeutas.

O Cram foi criado no dia 22 de julho de 2008 e está vinculado à Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp). Tem como objetivo a valorização e promoção da autoestima das mulheres.

Participaram da solenidade o secretário de Segurança Pública, Marcos Roberto; a titular da Delegacia de Crimes Contra a Mulher, delegada Elsa Nogueira; o delegado Ronaldo Coelho; a coordenadora do Cram, Sandra Cavalho; a coordenadora do Centro de Atendimento à Mulher e à Família (Camuf), Girlene Araújo; e a secretária da Seafro, Neucirene Almeida.Secretário da Sejusp, Marcos Roberto, prestigiou a solenidade e disse que a luta pelo direito da mulher deve ser colocada em prática por todos

O secretário Marcos Roberto disse que vem acompanhando o trabalho realizado pelas funcionarias do Cram. "Queremos que a luta do direito à mulher não fique apenas no discurso, que seja colocada em prática por todos. Vamos intensificar ainda mais essa politica de defesa à violência contra a mulher no Estado", enfatizou.

A delegada Elsa Nogueira lembrou que um dos maiores problemas enfrentados pelas mulheres, diante de levantamentos é o enfrentamento do fator psicológico. "É nesse ponto que entra o importante trabalho realizado pelo Cram com o apoio a essas vitimas, que são reanimadas para continuarem suas vidas", pontuou.

Sandra Cardoso agradeceu o apoio dado pelo governo do Estado para que a equipe do Cram desenvolva cada vez melhor suas atividades diárias. "Fazemos um trabalho de qualidade, acolhimento e responsabilidade com as mulheres amapaenses", afirmou.

A coordenadora do Camuf, Girlene Araújo, em pronunciamento, destacou que o grande aliado nesse processo é a parceria possibilitada pela Rede de Atendimento à Mulher (RAM), que acolhe as mulheres e suas famílias.

Durante todo o dia serão oferecidos atendimentos no espaço de embelezamento da mulher: corte de cabelo, limpeza facial, sobrancelha de rena, manicure e maquiagem. E ainda, no espaço da saúde e bem-estar da mulher, estão sendo proporcionados os serviços de massagem relaxante, pilates, reflexologia auricular, teste de glicemia, verificação de pressão arterial, alinhamento da coluna, redução de medidas e fisioterapia de pés e mãos.

Na ocasião, também aconteceu uma blitz educativa e preventiva por meio da entrega de kits com folderes e cartilhas a respeito da Lei Maria da Penha e os serviços disponibilizados pelo Cram.

A costureira e usuária do Cram, Elane de Souza, foi pela primeira vez ao Centro e disse que gostou do atendimento que recebeu. "Adorei a ação. É um momento que temos para cuidarmos um pouco da gente", destacou.

Os artesanatos confeccionados pelas usuárias do Cram também foram expostos para comercialização em um estande localizado no local.

Serviço:

O prédio do Centro de Referência e Atendimento à Mulher fica localizado na rua São José, nº 11, Centro, esquina com a avenida FAB. Atendimento de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 19h. Telefone de contato: 3212-8116.

Fabíola Gomes/Secom

Cadastre-se para receber o Boletim Eletrônico
Nome
E-mail
Assessorias
Secretaria de Estado da Comunicação