Notícias
27/06/2012 17h46 - Atualizado em 27/06/2012 17h46
Obras de escolas indígenas estaduais seguem em ritmo acelerado
Da Redação - Agência Amapá
A-A+ Tamanho da Letra

O Governo do Amapá, por intermédio da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinf), exige pressa nas obras de construção de 29 escolas indígenas estaduais no município de Oiapoque e Parque Nacional do Tumucumaque.

As obras, que estavam paralisadas por falta de recursos, foram retomadas no início de 2011 e preveem a construção de 8 escolas indígenas em alvenaria no município de Oiapoque, sendo 5 com 6 salas de aula e 3 com 2 salas. Todas elas com bloco administrativo, biblioteca, banheiros e área de lazer. O valor global das obras é da ordem de R$ 3.171.009,45.

Já em aldeias indígenas do Parque do Tumucumaque, o governo do Estado está construindo mais 21 escolas indígenas, todas padronizadas com característica de construção mista (madeira e alvenaria) com 2 salas de aula, bloco administrativo, banheiros, sala de leitura e informática. Os recursos são da ordem de R$ 4.913.633,51. As obras já avançaram em 50%.

Apesar das dificuldades de acesso e transporte de material, as obras das escolas localizadas nas aldeias indígenas estão bem adiantadas. As escolas Camilo Narciso (aldeia Kumarumã), Moisés Yaparrá (aldeia Kumenê) e Manoel Primo dos Santos (aldeia Santa Izabel) estão em fase de finalização.

"Nossa maior dificuldade nessas construções está no acesso a essas comunidades para transportar o material que vem sendo utilizado nas obras. Hoje, nós dependemos mais do que nunca da mão-de-obra humana. Em algumas aldeias, os trabalhadores têm de carregar o material nas costas e, mesmo assim, as obras estão acontecendo", afirmou o secretário de Estado da Infraestrutura, Joel Banha.

A construção das 29 escolas indígenas está gerando em média 60 empregos diretos, a maioria conta com a mão-de-obra indígena.

José Menezes/Seinf

Cadastre-se para receber o Boletim Eletrônico
Nome
E-mail
Assessorias
Secretaria de Estado da Comunicação