Notícias
25/06/2012 8h00 - Atualizado em 22/06/2012 10h50
Conjunto Habitacional dos Congós beneficiará 397 famílias; obras geram 90 empregos
Da Redação - Agência Amapá
A-A+ Tamanho da Letra

Estão sendo construídas 397 unidades habitacionais, sendo 320 apartamentos e 77 casas. Mais fotos clique aqui O Conjunto Habitacional dos Congós é uma das obras do Programa de Obras e Ações para Mudar o Amapá (PROAMAPÁ). Essa ação foi possível por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), onde o Ministério das Cidades repassou R$ 19.493.837,48 e o Estado está investindo mais R$ 5.094.453,87 como contrapartida.

Construção do Conjunto Habitacional dos Congós gerou aproximadamente 90 empregos diretosEstão sendo construídas 397 unidades habitacionais, sendo 320 apartamentos e 77 casas destinadas a portadores de necessidades especiais, idosos, entre outros. Atualmente, as obras estão com 13,68% dos trabalhos executados e os primeiros quatro blocos de apartamentos serão entregues em agosto deste ano, assim como oito casas, destinadas a famílias que devem ser remanejadas da área onde o empreendimento vem sendo desenvolvido.

Cada bloco tem 16 apartamentos medindo 45 m², com cozinha, banheiro, sala e dois quartos. As casas são geminadas e medem aproximadamente 101 m².

As obras iniciaram em 2008, mas tiveram as duas licitações anuladas. Em 2011, o governo do Estado conseguiu reaver o recurso que seria devolvido para a União, e aprovou o projeto na Caixa Econômica Federal.

A construção do Conjunto Habitacional dos Congós gerou aproximadamente 90 empregos diretos, com prioridade para aqueles operários que residem próximo ao canteiro de obras.

Domingos Furtado, 43 anos, disse que está completando seis meses de trabalho e desde então muita coisa mudou na sua vida. "Não tenho do quê me queixar, pois o pagamento é feito em dia e está dando para comprar as coisas e aprontar a minha casa, porque antes eu trabalhava de bico", frisou o operário.Clique aqui para assistir o vídeo

Denilson Duarte, 31 anos, disse que antes de ser admitido nas obras do PAC Congós estava parado e, agora, passou a trabalhar com carteira assinada. "Agora, ganho meu benefício e tenho dinheiro todo dia, graças a Deus", declarou.

De acordo com o operário Cleuson dos Santos, 31 anos, sua vida melhorou financeiramente, principalmente pelo fato dele morar perto do canteiro de obras onde trabalha. "E agora, muitas pessoas vão sair das áreas de ressaca para morar em apartamento e terão uma vida mais tranquila e digna", destacou.

Adryany Magalhães/Seed

Cadastre-se para receber o Boletim Eletrônico
Nome
E-mail
Assessorias
Secretaria de Estado da Comunicação