Notícias
07/06/2012 12h30 - Atualizado em 07/06/2012 12h30
Secretaria de Educação corta ponto e suspende regência de classe de professores grevistas
Da Redação - Agência Amapá
A-A+ Tamanho da Letra

Com base na decisão do Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap), que considerou ilegal a greve do Sindicato dos Servidores da Educação Pública no Amapá (Sinsepeap), o ponto dos professores que estão fora da sala de aula começou a ser cortado e, agora, o secretário de Estado da Educação, Adalberto Carvalho, decidiu suspender as gratificações de regência de classe e a do ensino modular dos professores que aderiram ao movimento de paralisação.

De acordo com o secretário, a natureza da primeira é que ela deve ser paga apenas para professores que estão em sala de aula ou em atividades pedagógicas que justifiquem essa modalidade de gratificação. A segunda, fundamentou ele, é uma gratificação para profissionais que atuam no Ensino Modular e que desenvolvem atividades profissionais nas comunidades rurais do Estado do Amapá.

"Como os professores decidiram continuar infringindo a decisão do Tribunal de Justiça, permanecendo fora das salas de aula e também se ausentando das aulas do Ensino Modular nas comunidades rurais, o governo do Estado decidiu fazer essa suspensão", explicou Adalberto Carvalho.

A medida trará impacto já no próximo pagamento dos professores, incidindo, inclusive, proporcionalmente sobre as verbas referentes aos 50% do décimo-terceiro salário. "Quero deixar claro que a medida só atinge os professores que continuam desrespeitando a decisão do Tribunal de Justiça. Os que estão trabalhando terão seus direitos respeitados", assegurou.

Cadastre-se para receber o Boletim Eletrônico
Nome
E-mail
Assessorias
Secretaria de Estado da Comunicação