Outubro Rosa
Notícias
06/06/2012 19h15 - Atualizado em 06/06/2012 19h15
Cram entrega cestas básicas às mulheres atendidas pelo órgão
Da Redação - Agência Amapá
A-A+ Tamanho da Letra

Em continuação a vasta programação que vem sendo realizada pelo Centro de Referência e Atendimento à Mulher (Cram), foram entregues 32 cestas básicas nesta quarta-feira, 6, no auditório do próprio órgão.

A coordenadora do Cram, Sandra Cardozo, informou que foi feita uma criteriosa seleção para atender, de imediata, as 32 mulheres que precisam de assistência alimentar de emergência. As cestas foram entregues pela empresa Amazonas Importados, fruto do convênio com o Ministério do Trabalho, resultado do Termo de Ajuste de Conduta (TAC), que visa beneficiar as mulheres cadastradas nos programas do Cram.

"Recebemos doações de outras empresas e com frequência vamos atendendo as que mais necessitam de ajuda. Precisamos que outros parceiros também entrem nesta corrente solidária", apela Sandra Cardozo.

Ela explica que esta ação conta com a participação popular e o governo entra com a estrutura e o apoio de toda a rede assistencial. Mas, segundo a coordenadora, é importante que a comunidade também participe. "Hoje, nós atendemos mulheres de Macapá, Santana, Abacate da Pedreira e Carvão. Elas saem daqui felizes com a certeza de que existem pessoas se preocupando com elas", se emociona Sandra Cardozo.

Depoimentos

Juliana Patrícia, 35 anos, seis filhos, desempregada, diz que esta cesta é uma benção. "Ajuda muito. Teremos alimentos por um bom tempo. Tem dia que não tem nada em casa e agora podemos ficar um pouco mais aliviada", agradece.

Outra mulher atendida, Andreza Luane de Souza, 22 anos, duas filhas, diarista, moradora do bairro Nova Esperança, diz que o rendimento dela com o trabalho não dá para manter a família. "Às vezes, passamos necessidade e recebemos aqui do Cram cesta básica, remédio, fraldas e é o que nos vêm atendendo. Mas, espero conseguir emprego melhor e estou me qualificando aqui no Cram", diz esperançosa.

Marilene da Silva Albuquerque, 41 anos, diarista, mora em Abacate da Pedreira, diz que o marido passa até três meses sem receber salário. "Ele marisca, pega uns peixes, traz uns legumes e, às vezes, os parentes ajudam. Mas, nem sempre podem fazer isso", diz agradecendo por está recebendo esta cesta que veio em boa hora. "Sou muito grata ao Cram por estar do nosso lado nesta hora difícil", conclui.

Trabalho em equipe

Sandra Cardozo apresentou toda a equipe do Cram e diz que a entidade está presente no Box do Super Fácil da zona Sul e em breve estará na unidade da zona Norte de Macapá. Ela acredita nesta expansão ao atendimento, como o resultado da política do governador Camilo Capiberibe, que está ampliando o espaço para o acolhimento e acompanhamento dessas mulheres, ofertando melhor qualidade de vida e amparando-a  nos momentos mais difíceis. "Aqui não existe estrela. Somos uma constelação onde todas brilham", filosofou.

Édi Prado/Secom

Cadastre-se para receber o Boletim Eletrônico
Nome
E-mail
Assessorias
Secretaria de Estado da Comunicação