Outubro Rosa
Notícias
28/05/2012 14h04 - Atualizado em 28/05/2012 14h04
Governador do Amapá participa da abertura do Seminário “Programa Estadual da Castanha”
Da Redação - Agência Amapá
A-A+ Tamanho da Letra

O governador do Amapá, Camilo Capiberibe, participou nesta segunda-feira, 28, na Escola de Durante a abertura do seminário, o governador Camilo Capiberibe ressaltou a importância de estruturar e apoiar o extrativismo no AmapáAdministração Pública (EAP), da abertura do Seminário "Programa Estadual da Castanha: Políticas Setoriais para uma Economia Verde". O evento, que encerrará na terça-feira, 29, tem o objetivo de debater e definir a política estadual dentro dos princípios da sustentabilidade ambiental, social e econômica para o extrativismo da castanha-do-brasil. Ao todo, seis mil extrativistas serão beneficiados com o avanço de políticas públicas para o setor.

O seminário é uma ação conjunta das secretarias de Estado da Indústria, Comércio e Mineração (Seicom), do Meio Ambiente (Sema) e da Ciência e Tecnologia (Setec), além do Instituto Estadual de Florestas (IEF). O encontro conta com a participação dos gestores dos órgãos envolvidos e representantes de todas as associações de extrativistas que vivem da comercialização castanha-do-brasil.

Segundo o secretário da Indústria e Comércio, José Reinaldo Picanço, a programação nos dois dias do seminário consiste em palestras, projetos e experiências que auxiliarão na construção de propostas para a estruturação do Arranjo Produtivo Local (APL) da castanha-do-brasil no Amapá. Picanço explicou que, com o seminário, o governo do Estado fará uma intervenção positiva para o extrativismo de castanha no Amapá.

O titular da Seicom destacou que a iniciativa visa a melhoria de vida de cerca de seis mil castanheiros que trabalham na região Sul do Estado. “Discutiremos com o governo federal, órgãos estaduais, pesquisadores, extrativistas e profissionais ligados ao beneficiamento e comercialização da castanha-do-brasil ações positivas para o avanço do extrativismo da fruta. Queremos saber como é organizada a cadeia produtiva, quais os entraves e o que podemos fazer para resolvê-los”, explicou.

O governador enfatizou que ele e sua equipe de governo começaram a discutir políticas públicas para o desenvolvimento do extrativismo ainda em 2011. “Começamos este trabalho no ano passado. Contratamos consultoria especializada no assunto e desenvolvemos uma proposta para a cadeia de produtos da floresta. Hoje, debateremos um plano de desenvolvimento econômico da castanha. Nossa meta é estruturar e apoiar o extrativismo no Amapá. Faremos investimentos, capacitações e o que for necessário na estruturação das cooperativas. Isso gerará emprego e renda para o povo da floresta”, ponderou o governador.

José Reinaldo Picanço revelou que, por falta de apoio da gestão passada, muitas cooperativas de extrativistas pararam suas atividades.

Reconhecimento do governo federal

A representante do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Rocío Ruiz, afirmou que a articulação em prol da biodiversidade é positiva. Segundo ela, a partir de ações como esta, as cadeias produtivas avançaram no Acre e no Amazonas. “Este momento é muito importante para o Amapá, pois ele criará propostas para o futuro da cadeia produtiva. O resultado será uma resposta positiva para a sociedade civil. Parabéns ao governo do Estado pela iniciativa”, salientou Rocío Ruiz.

Boas expectativas

O representante dos extrativistas, Pedro Ramos, afirmou que os castanheiros estão otimistas com a iniciativa do Governo do Amapá. Ele agradeceu a vontade política e empenho do governador em desenvolver as cadeias produtivas do Estado.

Elton Tavares/Secom

Cadastre-se para receber o Boletim Eletrônico
Nome
E-mail
Assessorias
Secretaria de Estado da Comunicação