Novembro Azul
Notícias
30/03/2012 21h33 - Atualizado em 30/03/2012 21h33
Conjunto Aturiá: governador visita obra e constata que está dentro do prazo de execução
Da Redação - Agência Amapá
A-A+ Tamanho da Letra

Veja outras fotos: aqui.O governador Camilo Capiberibe visitou na tarde desta sexta-feira, 30, a obra do Conjunto Aturiá, onde o Governo Federal, por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), está investindo R$ 23,5 milhões e o Estado mais R$ 13,5 milhões em contrapartidas. Nele, serão abrigadas famílias que moravam ou ainda moram no bairro Aturiá.

Acompanhado do secretário de Estado da Infraestrutura, Joel Banha, do representante da Caixa Econômica e dos responsáveis pela empresa Decol Construtora Ltda., eles constataram que a obra será entregue no prazo determinado.

O Conjunto Aturiá terá 512 apartamentos, divididos em 32 prédios de quatro andares com 16 moradias, cada um. Cada apartamento terá 49 m² repartidos em sala, cozinha, banheiro, dois quartos e área de serviço. O projeto foi pensado para facilitar a acessibilidade, garante água, esgoto e pavimentação de ruas em bloquetes. A engenheira da Decol, Leila Martins, explica que o conjunto será um espaço planejado onde os moradores terão infraestrutura e apoio institucional como creche, centro comunitário e quadra esportiva.

Os futuros habitantes do Conjunto são famílias que moram próximo às margens do rio Amazonas e sofrem com a erosão causada pela água, principalmente no inverno. Do total de 537 famílias cadastradas como moradoras da área de risco, 25 foram indenizadas pelo Estado e as demais têm moradia no Conjunto. Para que o planejamento de remanejamento andasse e o recurso não fosse perdido, foi necessário que em 2011 o governo tomasse medidas desafiadoras para garantir a área para a construção das habitações.

A obra era para ser executada em 2008, porém, o Tribunal de Contas da União (TCU) detectou irregularidades graves na área onde seria construído o conjunto, o que causou ameaça de bloqueio dos recursos. Além disso, o Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá (Iepa) emitiu um laudo afirmando que o local era impróprio para habitação. Para que os recursos não fossem perdidos, o GEA investiu cerca de R$ 2,5 milhões para a aquisição de uma nova área onde está erguido o conjunto, um espaço de 3,4 hectares, na Vila das Oliveiras.

A engenheira Leila relatou que o planejamento prevê a construção por etapas de seis blocos. Até o mês de outubro deste ano, a empresa garante entregar os seis primeiros blocos. "Estamos dentro do prazo, até julho de 2013, se não houver imprevistos, estaremos entregando todos os apartamentos e espaços sociais com o saneamento integrado e eletricidade", afirma. Está incluído ainda no projeto a construção do muro de arrimo de 1 km, que vai ligar o Complexo do Araxá à avenida Setentrional.

O governador Camilo Capiberibe disse que as partes têm que cumprir o prometido para que os prazos sejam respeitados. "Esta obra beneficia o povo desde agora. Hoje, ela está gerando 107 empregos, e no auge serão 400 trabalhadores no canteiro. Depois de pronta, ela vai dar uma moradia digna para estas famílias. Com esse conjunto, damos continuidade ao projeto de abrigar honestamente famílias que moram em Macapá, tirando de áreas de risco", pontuou o governador. Ele refere-se à obra do PAC Congós e do Conjunto Macapaba, que também estão em execução.

Mariléia Maciel/Secom

Cadastre-se para receber o Boletim Eletrônico
Nome
E-mail
Assessorias
Secretaria de Estado da Comunicação